"Posso não concordar com uma só palavra do que dizes,
mas defenderei até a morte teu direito de dizê-las."
- Voltaire

quinta-feira, abril 11

Quem é raposa e quem é asno?

Anônimo, 10/abr 14:09 em "Dívidas herdadas ...":
"TAngra, gostaria de fazer uma consideração sobre o TCE, especificamente o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, que creio que pode ser extendida para todos os Tribunais de Contas existentes no Brasil, inclusive o TCU.

A iniciar pela constituição de seus Conselheiros e ou Ministros, que são indicações políticas, no caso pelo governador do Estado, o que acho um absurdo, pois existirá sempre uma 'gratidão' para com um político ou linha política que o indicou para Conselheiro, e daí se verificam uma série de parcialidades nos encaminhamentos até o arquivamento e ou a multa efetiva, que tem sempre em seu bojo uma conotação política partidária.

Quanto ao corpo técnico do TCE-RJ, só há que se falar bem, mas de nada adianta se o 'caminho' do processo é de condução do Conselheiro.

Tem mais, em um processo de obras existem várias etapas em que o gestor máximo não tem como ter responsabilidade, pois a ele lhe cabe a visão administrativa do mesmo e não toda a visão técnica de estudo de viabilidade, anteprojeto, especificação de projeto, planilhas e etc. O fato da publicação de multa a um gestor não significa, não necessariamente, que haja responsabilidade direta do mesmo. Há de se ler e conhecer todo o processo para se imputar isto ou aquilo.

Hoje faço parte do governo atual e não tenho procuração para defender ninguém do passado, mas acho uma covardia publicar este ou aquele nome sem se conhecer na íntegra o processo, e principalmente quem é o Conselheiro Relator.

Nem tudo que sai publicado é verdade (clique no link):"

revistaepoca.globo.com/tempo/noticia/2012/03/o-tribunal-que-virou-caso-de-policia.html


TAngra:
Sim, prezado Anônimo, perfeito tudo que você disse, mas observe que, nos dois casos apontados aqui no Blog, é impossível acreditar na boa fé dos secretários de governo que tinham os tais contratos e aditivos sob "sua responsabilidade". Confira nestes links e diga:

Para quem acompanha os contratos da PMAR desde tanto tempo não é nada difícil ver onde a irregularidade numa contratação se dá por incompetência do gestor e onde há fortes sinais de corrupção, favorecimento etc. Muita gente acompanha os noticiários e sabe quem é este ou aquele Conselheiro, quem é condenando e quem é absolvido por ele. Os cidadãos têm o direito de saber quem, deste ou daquele governo, é punido pelo TCE-RJ e por qual motivo.

Colocamos sempre todas as informações possíveis sobre cada caso, mastigamos, e publicamos para que cada um veja nossa opinião e possa tirar suas próprias conclusões. Isso não pode ser chamado de covardia. E quem tiver o que explicar em sua defesa que o faça, até mesmo aqui no Blog, basta enviar um comentário. Covardia é burlar a lei nessas contratações, seja por culpa ou por dolo, desperdiçando dezenas de milhões de reais dos cofres de Angra dos Reis por descaso ou por corrupção, nunca devolver o que desperdiçou ou "embolsou", e depois ser punido com uma multa de meia dúzia de cestas básicas e tchau!, está livre para usufruir o que roubou.

Cada caso é um caso, amém!

7 comentários:

Anônimo disse...

TA porque você não fala dos contratos que o ABILIO ALAPENHA não quis assinar?

Anônimo disse...

Comentar o que, se voce não publica mais nada? ~virou censor. Só censura todos os comentários. Perdeu toda a sua credibilidade, transparencia. Vc virou CC e agora vc já era.

ELEIÇAO 2012. disse...

Antes de criticar procure ajudar. Juntos, povo, vereadores e Prefeitura. teremos uma cidade melhor.
http://eleicaoangra2012.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Sobre esses comentario e só olhar as obras da copa do mundo.os estádios sendo construido com o nosso dinheiro.procure ver por quanto foi licitado as obras do maracaná e quanto está hoje.outra obra e a transposição do rio sao francisco que não preciso cabe mais aditivos.todas feita pelo governo dos aloprados.e vamos ficar de olho na obra da ponte da banqueta.pois terá conserteza desvio do nosso dinheiro para o lindinho.

Anônimo disse...

Quem tá desperciçando dinheiro do governo é a prefeita, que mentiu na campanha e nomeou quase 1100 CCs, da qual voce é um deles. Essa defesa toda da formiga saúva e ataque todo ao tuca é coisa de mulher. Mulherzinha despeitada que ganhou cargo precisa defender esse governo ladrão e mentiroso. Ninguém acredita mais em Voce, Transparencia, vai sumir e acabar como muitos outros blogs. Voce ser revelou não só mentiroso e interesseiro, e também puxa saco pra ganhar CC; quem te le aqui é informado e voce não engana mais ninguem. Marilene Dopazo e Helena Sloboda, vão cuidar dos seus carguinhos antes que o governo caia, porque já caiu na boca do povo.

Anônimo disse...

Vocês podiam fazer uma nota sobre servidores corruptos e a morte do Abilio Alapenha, e o PT.
Esse elo pega fogo amigo.
Onde tem PT, pode ter certeza tem morte e corruptos.
Basta olhar os nomeados desse governo.

Anônimo disse...

Nossas autoridades vivem uma crise de desconfiança para com a sociedade. São juizes, ministros de tribunais de contas, policiais, governos federal, estaduais e municipais. Raros, muito raros são aqueles que não estão envolvidos na lama da corrupção, do desmando do favorecimento, da omissão.
O Brasil está muito bem colocado no ranking dos países corruptos, ocupa uma das primeiras colocações.
Mas, qual é o seu preço, todos nós temos. Uns não percebem, mas estão sendo cooptados subliminarmente ao receberem pequenos favores, bombons, canetas, agendas.
Outros se vendem, barato, por sobra de material de construção, oculos, dentadura, perfumes, pequenos empréstimos (nunca pagos), vaga de emprego para parentes, amigos.
E há os profissionais, que vivem disso, quando negociam uma compra de material ou serviço já acertam com o vendedor os percentuais que variam de acordo com o poderio do "chefe".
Temos como exemplo de relação:
- Cavendish / Cachoeira Governos estaduais, municipais, federal, parlamentares tanto da oposição quanto situação;
- Mensalão federal e o possível mineiro;
- Troca de cargos por apoio político - relação entre políticos e governos;
Tem muito mais, mas meu tempo acabou.
E VOCÊ, QUAL É O SEU PREÇO?